Faça para amar e não para ser amado

Escrito em 03/11/2021
Daniella Faria


Oi amores, tudo bem?

Quando nos damos conta do nosso coração falho, da centralidade que temos, do vazio existencial que vivemos e da vulnerabilidade que somos, fica mais evidente esse movimento do fazer para receber, do ser quem pensamos que temos que ser para sermos amados, reconhecidos, para termos valor e pertencimento. Nesta equação, repleta de escassez, no fazer para receber, não amamos ninguém além de nós mesmos e certamente mandaremos a cobrança logo em seguida. Vazio que nunca se preenche, carga pesada na vida de todos nós e de quem está a nossa volta.

Esse processo acontece com todos nós e com nossos filhos também.

Viktor Frankl traz em sua obra o vazio existencial como condição humana e o quanto a presença, a relação com o supra sentido nos dão sustentação, sentido e direção.

David Powlison também afirma o quanto a presença do relacionamento com Deus nos possibilita viver uma profunda transformação na equação da vida. Na relação de Amor com o Deus: “O anseio de aprender como amar e compreender substitui o desejo de ser amado e compreendido”.

Quando o Amor nos amou primeiro nos tornamos capazes de amar, exatamente pelo preenchimento deste vazio nesta relação de amor.  Como pais, mesmo falhos, podemos testemunhar aos nossos filhos esse Amor de Deus que recebemos sem merecer. Podemos amá-los e convidá-los a perceberem o quanto são amados incondicionalmente por nós também.

Neste Descanso no Amor podemos então, convidá-los a amar. Convidá-los a cuidarem de suas atitudes, palavras e ações, convidá-los a amarem ao próximo sem se abandonarem.

Nesta nova equação da vida, tão viva, veremos esse amor florescer, frutificar, crescer, acontecer em ações, palavras, acolhimento, proximidade, compaixão, perdão e misericórdia. O Amor nos amou e amar é mesmo o maior de todos os presentes. Vamos juntos?

Com amor, Dani

Deseja marcar uma consulta particular, acesse aqui.

Participe do curso Educação Infantil Online, acesse aqui.